#33 A fortaleza de Hachijoujima – o comando subterrâneo abandonado


412662

 A fortaleza de Hachijoujima – o comando subterrâneo abandonado

Konnichiwa Minna

Do mesmo autor da exploração ao Kayaku-ko – o lugar que o tempo esqueceu, Myon Shinonome (E de muitas outras reportagens sobre lugares abandonados ) , hoje eu compartilho uma exploração que ele fez a um abrigo abandonado da Segunda Guerra Mundial Riso For
Eu abreviei/adaptei o título original da postagem que é: “O forte de Hachijoujima – o centro de comando subterrâneo da fortaleza inexpugnável nas montanhas” (Um pouco longo né? Riso For) bem trago a este post também para os interessados em pequenas coisas das quais tinha a ver seja com a Segunda ou a Primeira Guerra Mundial pois é um assusto interessante ao qual estou aprendendo agora apesar de terem avidos grandes perdas por…pouca bosta cara cada motiva mais por riqueza toma naquele lugar viu ;p bem sigam adiante e não liguem para meu estado revoltado ;p créditos para Rusmea!

Segue adaptação:

Hachijoujima é uma ilha vulcânica, próxima da península de Izu e administrada por Tókio. Localizada a cerca de 287 quilômetros ao sul das divisões especiais de Tokyo. É a mais meridional e mais isolada do grupo de 7 ilhas de Izu. Sua população é de 8 mil 363 pessoas (segundo censo de 2009) que vivem em 63 km² de área habitada.

“A revelação do grande labirinto subterrâneo de Hachijoujima – o quartel general sob a montanha

A construção, muito bem conservada, está localizada na direção sudoeste da ilha em Higashiyama.
Eu começo apresentando o caminho, chamado de ‘estrada de defesa’ que leva à fortaleza.

A primeira dificuldade foi achar esta estrada. 
Afinal, eu cheguei às 3 horas da manhã para averiguar o local e não consegui descobrir nada…
Em uma segunda investida, finalmente a encontrei.

Eu sigo por um caminho que aparentemente, não está abandonado.
Em pouco tempo, encontrei um local suspeito à esquerda do caminho.
Esta é a entrada para o quartel general subterrâneo.
Logo após entrar, me deparo com um extenso túnel de paredes retas.

Um isolador elétrico caído.

Avanço à esquerda, através da junção em forma de T. 
Este local foi apresentado como um lugar extremamente assombrado e assustador, por um programa de televisão que contava que aqueles que visitam o lugar, sentem presenças fantasmagóricas (interessante mas ainda sim assustador ;p yuuki), mal-estar, etc… 
Mas eu não senti absolutamente nada disso quando adentrei o local…

Há um corredor à direita, mas eu sigo pelo túnel principal.

Um isolador com gancho. 
Apesar dos poucos isoladores encontrados pelo lugar, não há dúvida que havia uma rede elétrica alimentando a fortaleza.

Uma faca de cozinha enferrujada. 
O que algo assim estaria fazendo aqui?

Sigo avançando.

Há uma câmara, pequena e obstruída. 

Eu voltei até o ponto em que segui em linha reta e pego o corredor da direita.

É um corredor em curva e indo por ele, avisto uma caixa d’água.


Está muito bem construída. 
A propósito, eu tenho a impressão de que muitos dos abrigos subterrâneos de Hachijoujima são feitos de concreto.

A vista completa.

Braçadeiras enferrujadas, jazem abandonadas.

O corredor se divide. 
Eu tomo o caminho escuro da esquerda (Já que o deus das ruínas mora nas curvas à esquerda…).

Mas um pouco antes de ir, encontro estas colunas de madeira deteriorada.

Avanço então pelo corredor da esquerda.

Há uma pequena diferença de nível e uma pequena escada.

Há um caminho em forma de T sob a escada.
Indo à esquerda do caminho em forma de T, encontro o que parece ser uma estrutura de concreto muito bem construída.


Comparando com os corredores escavados à mão, isto aqui é muito mais robusto e pesado. 
Este é o verdadeiro motivo de eu ter vindo até Hachijoujima!

Há vergalhões de reforço dentro do concreto.

Há uma pequena janela na parede.
Se trata de uma brecha para atiradores. 
Aqui, os soldados ficavam armados e de prontidão para o caso de algum ataque.
Se pode sair por esta porta.

Vista por fora. 
É uma construção muito bem feita, que faz jus a uma casamata para comandantes.

Eu entro novamente e logo encontro o que parece ser um depósito.

Dá para ver que o corredor continua, ao mesmo tempo em que o fundo parece estar selado, mas…

Há um pequeno furo na parede de concreto. 
O que será?


Pronto. 
Finalmente chego ao fim do corredor e este é o coração da central de comando da fortaleza.

Este buraco deveria ser usado para identificar alguma possível aproximação inimiga. 
Imagino que trazer uma batalha até este ponto, seria a última das últimas manifestações de um espírito de luta…

Avanço através da entrada de concreto.

Fiquei surpreso e comovido com o que vi. 
Este lugar quase nunca foi visto, muito menos se tornou um assunto corriqueiro entre as massas…
Se a existência de algo assim em uma ilha solitária nos mares do sul não é um milagre, então o que é?

Da parede saiu uma grande quantidade de sedimentos.
Uma subida incrivelmente íngreme. 
Este caminho leva até o local chamado de primeira colina, mas segundo informações que obtive, a construção desse local foi selada e decidi não ir lá desta vez.


O teto não possui isoladores elétricos, mas há alguns vergalhões aparecendo. 
A propósito, aqui era o dormitório dos comandantes e dos soldados responsáveis pela manutenção da contabilidade. 
Por mais que fosse uma guerra ou o fim dos tempos, aquilo não mudou as atividades econômicas, no qual, soldos dos soldados eram calculados e encargos diversos eram de inteira responsabilidade desses contadores.

Apesar deste abrigo ter sido dos comandantes, lamentavelmente não resta quase nenhum objeto daquele tempo. 
Mas ainda há alguma coisa.
Este é um pedaço de uma tisana de chá utilizada pelos oficiais daquele tempo. 
Eu lembro de ter visto em algum lugar antes, algo com esse mesmo desenho.

Esta era a sala de contabilidade.

Restam apenas alguns pedaços quebrados de isoladores elétricos.
Estas madeiras devem estar intocadas nesse mesmo lugar há mais de 60 anos…

Para o fundo e mais fundo ainda, em direção às profundezas do abismo…


Um pequeno quarto.
Este parece ser o que sobrou do banheiro. 
Mas será que existe apenas um em toda esta área?

É um buraco bastante profundo. 
Seria impossível sair desse fosso sem ajuda, em caso de queda…(Não esquece que tu tá sozinho se for você vai se fode ;p yuuki)

Sobre esse buraco, há outro no alto. 
É escuro e sabe-se lá onde vai dar esse aparente duto de ventilação.
O silêncio é total aqui dentro.


Adiante está o núcleo mais importante do lugar.


Esta sala lúgubre de formato singular, foi outrora o centro de comando onde atuavam os oficiais, auxiliares e comandantes.
Um pequeno erro naquele tempo e esta sala se tornaria um brutal lugar de suicídios…(Em outros abrigos pelo Japão, salas como esta possuem estilhaços de granadas em suas paredes, retratando a última decisão suicida dos comandantes, ao perderem a guerra. NDT. rusmea.com)

Um duto de ventilação.

Há um buraco bem grande no piso da sala de comando. 
Aparentemente foi aberto por uma equipe de televisão, mas a verdade é que desconheço os detalhes.

Placas de madeira eram colocadas sobre as valas de drenagem. 
Uma visão que nos mostra como era aquele tempo.


Eu adentrei pela porta da direita.

Agora entro pela porta da esquerda.
A sala dos suboficiais.
Este é a última sala feita de concreto, do núcleo de comando. 
Logo na entrada há uma porção de cacos de vidro.

Devido a que as grades vermelhas estão soldadas, eu não pude seguir por aqui.

Mais além das grades, há uma decida forte e contínua.

Sem remédio, decido ir pela porta de entrada e saída à direita.

No entanto, o caminho está bloqueado por um desmoronamento.
Volto pelo caminho por onde vim então.


Em frente do antigo banheiro, há um túnel estreito e sigo através desse caminho colapsado.

É uma passagem que poderia se desmoronar a qualquer momento…

Encontro um espaço um pouco maior. 
Aparentemente, aqui era o paiol de munições.

Caixas de munições deterioradas.

Estas são baterias utilizadas naquele tempo. 
Eu as encontrei escavando um pouco. 
Uma verdadeira raridade.

Não dá para explorar mais do que isso, assim que saí da fortaleza por um momento.


Esta imagem do centro de comando subterrâneo da fortaleza, é a que mais se vê em arquivos. 
Mas esta é apenas uma das entradas.
(Está escrito na placa: “Perigo de desmoronamento – Entrada proibida”. NDT. rusmea.com)

Logo após esta entrada, há uma montanha de sedimentos bloqueando a passagem.


Porém, esta zona possui um charme muito especial.


Um banheiro.

Naturalmente que há brechas para atiradores, projetadas para o caso de combates. 
Uma espécie de guarita.

Ao que parece, este era um mictório.

Vista através da brecha para atiradores, onde se vê o lado de fora. 
Posicionada para cobrir o caminho que leva à fortaleza.

A mesma brecha vista pelo lado de fora.

Uma parte saliente da construção.

Uma brecha para atiradores horizontalmente mais longa.

As posições. 
À esquerda ao fundo da foto, está a única entrada de concreto não obstruída para a fortaleza. 
À direita está a guarita e o banheiro.

Esta é a terceira entrada que está bloqueada por sedimentos.


De repente, eis que encontro uma passagem para o terceiro andar subterrâneo.

Assim que imediatamente, eu avanço pelo caminho.

Adiante há um espaço bem grande. 
Parece que esta era uma sala de estar para os soldados.

Adiante há uma longa passagem que leva ao lado de fora.

Um pequeno quarto com algo no meio…

É um braseiro.
É curioso que usassem coisas assim naquele tempo. 

No fim da passagem, há uma entrada bastante estreita.

É difícil de se ver pela foto, mas esta é uma ladeira fortíssima. 
No fim desta decida está o terceiro andar subterrâneo.

E continua…


Parece que finalmente cheguei na saída da passagem.

Logo após, encontro um estreito corredor. 
Este é o terceiro andar subterrâneo.

Seguindo pelo corredor, encontro um espaço amplo.

É um local bastante amplo mesmo.

Em uma das paredes há uma grande pedra. 
Ao que tudo indica, eles não puderam movê-la ao escavarem este lugar.

Aqui era o depósito de alimentos.

Uma misteriosa mensagem onde está escrito ‘frango assado (Yakitori)’, dentro de uma garrafa pet…(Nops manolo! Riso For Está escrito “carne de galinha” – “Toriniku” Riso For rusmea.com) 
Pra falar a verdade, esta mensagem é algo difícil de entender…

Tenho a impressão de já ter visto aquelas grades vermelhas…

Este espaço, também é um dos restos típicos deste lugar…

…Onde no alto, há um túnel quadrado. 
A propósito, houve um acidente envolvendo uma criança que caiu e morreu em um desses dutos de ventilação de um abrigo abandonado em Hachijoujima…
Será que foi aqui…?

É preciso ir por outra decida para alcançar o quarto andar subterrâneo.
No passado eram escadas, mas o tempo tratou de desgastá-las, deixando-as como se vê na imagem.

Me aproximo da saída.


E finalmente chego ao quarto andar subterrâneo.

Aqui há uma rica nascente de água. 
Talvez pela umidade, o lugar esteja tão corroído.

Uma fornalha.

A comida era preparada aqui.

Este é o andar mais profundo da fortaleza.

E neste lugar está uma das nascentes de água que abastecem Hachijoujima.

O lado de fora. 
Tudo pesadamente lacrado.

Vocês apreciaram? 
Eu fico muito contente apenas por dar a conhecer o cenário praticamente completo do centro de comando subterrâneo da fortaleza de Hachijoujima, um charmoso lugar quase não visto por ninguém.

Assim sendo, abro caminho entre o matagal, eu vou embora.

Mapa do centro de comando subterrâneo da fortaleza inexpugnável nas montanhas.

A escala e os detalhes são meramente ilustrativos e não são precisos.”


então o que acharam ? curthyram ? gostaram ?espero que sim hehe

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s